quarta-feira, 21 de outubro de 2015

BOMBEIRO INCENDIÁRIO

BOMBEIRO INCENDIÁRIO

“Nasci bombeiro, morro incendiário”.
(Alceu Amoroso Lima)


Querendo ser libertário, sou prisioneiro do tempo alheio, acorrentado por Aión. Não me entrego ao agora. As batalhas contra Cronos são eternas, mas o meu ser é mortal.

O presente destrói minha mente, o futuro tritura meu corpo e o passado arrasa o meu coração. Minhas asas são de cera, feito Ícaro, e como Empédocles, eu sempre caí no vulcão.

Sou o meu pior anacronismo, um visionário saudosista em corrosiva solução: cinquenta por cento de zero absoluto, a outra metade é hidrogênio do Sol.

Supernova de cristal à beira da explosão. Não existe portal no olho do furacão, na ilusão do arrebol nem no seio da sinfonia. Vivi poesia, morrerei canção.


Ateu Poeta
21/10/2015

terça-feira, 20 de outubro de 2015

PLACAS TECTÔNICAS

PLACAS TECTÔNICAS

As placas tectônicas
Sempre desarmônicas
Com as nossas ilusões
Quebram todos os olhares

Derivações insulares da História 
A arqueologia crava novas trajetórias
Criando outros mares a cada escavação
Lá no abismo estão os diamantes

No fundo da mente pulsam novas canções
Não tenho pá nem trator
Paz ou senhor
Foram embora as boas inspirações

E agora o branco intenso domina
Hora de jogar minas na escuridão

Ateu Poeta 
O Historiador de Pacoti 
20/10/2015

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

ALARIDOS POR ALÁ

http://ateupoeta.blogspot.com.br/2015/10/alaridos-por-ala.html

ALARIDOS POR ALÁ

Imbecis da multiplicação
Um monte de amebas
Na era da informação
Hoje é um dia de fúria

É hora de matar judeus
E cometer injúrias
O mesmo destino serve para cristão
Curdo e ateu

E até a mesma religião
Quando menos se espera
Surge a explosão
Criando nova quimera

Muçulmanos em ação
Quem desenhar será punido
Embora que o terrorismo precise de exposição
Morrer dá grande libido

Pela tola promessa
De setenta virgens ser marido
Todos em guerra com muita pressa
Para agradar um mito descabido

Ateu Poeta
14/10/2015

O ALAÚDE E O SÁBIA


O ALAÚDE E O SÁBIA

Mando o conto de fadas 
Às favas com o seu cartel
Se a amante for da elite
Até Afrodite descerá do céu

Qual será a sina
Deste pobre menestrel 
Sem alazão nem espada
Para seguir jornada

Em imenso quartel
E matar o bravo dragão 
Com ácidos golpes de fel?
Que fazer se a princesa for feia

O centro da aldeia
Um carrossel 
O mundo
Um castelo de areia

E o canto da sereia 
Ecoar no bordel?
Não é o preço que aperta e incendeia
Como a capoeira não está no chapéu

O apreço com força incandeia
Há grude na teia
Do perfume no véu 
Será o certo se algemar

A um só coração 
Em águas turvas mergulhar 
Serenata silvestre no ar
Criar um mar de canção

Ou viver em paz
Livre da paixão 
E fugir da gaiola
Como quem corre do cão?

Enquanto o poeta transforma
Quimera em sabiá
Eu voo com o meu alaúde 
E o bobo se ilude com a sábia

Ateu Poeta
11/10/2015

TERRORISMO DIGITAL


TERRORISMO DIGITAL

Hoje que está tudo normal
Não se pode ter opinião 
A ditadura é um sonho habitual 
Coisa para quem tem culhão

Sofremos terrorismo digital
Enquanto as bombas abalam a Síria 
Balas perfuram bocas de siri
A lei goela a baixo

Abaixo os rottweilers 
Que ladram mil máscaras
A verdade destrói Nietzsche 
Helenos e troianos

Trácios, etruscos e espartanos
Onde o palácio é o palco do tiranos

Ateu Poeta
11/11/10/20

PENSAMENTO SOBRE SONHOS

http://ateupoeta.blogspot.com.br/2015/10/pensamento-sobre-sonhos.html

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

GRANADA-GANÂNCIA

GRANADA-GANÂNCIA

Quem domina a bola
Controla a bolada
Mídia armada no camarim
O mulambo só expõe a fachada
A cambraia fina não tem fim
Enquanto existir dívida
O tráfico governará 
A miséria será grande ferida
De Pequim ao Pará
Ávida lida
Todos usam a mesma granada
A ilusão é um nada que gera estopim
A guerra é a grande cilada
A humanidade é o seu próprio Caim
Otomanos, turcos, sírios, sunitas, enfim
Russos, americanos, etruscos, romanos
Romenos, germanos, francos, quem fala Latim?
Celtas, Babilônios, hebreus, semitas-assírios-muçulmanos
No mano a mano hermanos matam os filhos seus
Os samaritanos são os próprios fariseus
Sumérios sumiram
Caíram impérios
Saxânidas, parcos, demônios
Arianos, dórios, aqueus, dácios, transilvanos
Unos, godos, vândalos, trácios mais bravos
Helenos, troianos, micenos, macedônios
Espartanos, lusitanos, fenícios
Cem anos de rosas e cravos
Vikings, curdos, cartagineses
Egípcios, chineses, mongóis, eslavos
Saxões, gauleses, italiotas, anglos
A ganância devora e faz grunhir o mundo
E o abismo é cada vez mais fundo

Ateu Poeta
05/10/2015

sábado, 3 de outubro de 2015

O SÓSIA CAP 9: O NOVO PAPA

O SÓSIA
CAP 9: O NOVO PAPA


Uma semana de guerra no Brasil e mensagens do Ísis assumindo matar o Papa e do Vaticano assumindo matar o El os grupos terroristas se dividiram e invadiram vários países da Europa ao mesmo tempo.

A fumaça branca é acesa e o novo Papa é escolhido. Sua primeira ordem é: _Vamos atacar o Brasil, pois ali se esconde o terrorista islâmico chamado Ali, que matou o El e o Papa anterior. Meus soldados da inteligência do Vaticano descobriram por meio de escutas feitas sobre escutas da CIA que os EUA e a Coréia do Sul estão por trás disso tudo, dando tecnologia em troca de dinheiro desviado do BRICS. Ali dará um golpe militar e assumirá o cargo de ditador do Brasil, destruirá o congresso e enviará seus fascistas, chamados de integralistas, para assumir cada Estado.

_Droga! Esse Papa sabe demais! _Ali bate na mesa e dá um telefonema._ Adiante o plano, Luís, dê logo esse golpe militar!

O pronunciamento do Papa fora dado em cadeia nacional e duas horas depois via-se as duas torres do planalto explodir e um pronunciamento em rede nacional no Brasil declarando Dante o novo presidente.


A cerimônia de posse aparece o Papa e vários cardeais vestidos de negro. No meio da mitra estava uma cruz de cabeça pra baixo. Cada um sacou duas pistolas e o tiroteio rolou solto quando os oficiais do exército começaram a tirar suas armas semi-automáticas para revidar.


Homens de preto não param de entrar no imenso salão e em pouco tempo os oficiais estavam mortos sobrando apenas Dante, que agora se chamava Ali.


_Como vocês sabem tanta coisa sobre os meus planos?_Grita Ali debaixo de uma mesa.

O Papa responde:_Levante-se e veja, Dante!
_Meu nome é Ali!
_Nem Dante e nem Ali, seu nome real é Pedro Cardoso_Então, Dante-Ali-Cardoso se levantou e o Papa tirou a máscara e aquela roupa preta, todos os cardeais também e eram todos iguais; todos seus sósias.
_Quem são vocês? Eu matei todos vocês!
_Não mesmo_Responde o Papa_ aquela não era nem um décimo da real quantidade de sósias, meu caro e o verdadeiro Ramiro está bem distante daqui. Já rastreamos suas contas bancárias pelo mundo e já não há ali, Ali, um centavo sequer.
_Vocês estão mentido!
_Ora essa, venha cá._O Papa ligou um notebook pegando a rede local da presidência e um vídeo da internet mostrava todos os presidentes do mundo sendo destituídos ao mesmo tempo cada novo ditador tinha perfeitamente o mesmo rosto. Todo faziam a saudação nazista recriado por Plínio Salgado dizendo Anauê!

Um dos cardeais vai até Cardoso e diz:_Agora, você, sendo um traidor da ordem, ganhará uma exemplar pena de execução.
_Isso se vocês me pegarem!_ Caças surgem de todo lado começando um imenso bombardeio enquanto uma passagem secreta se abre no chão por onde Cardoso sai correndo e os sósias saem no seu encalço, mas são barrados por uma parede que se abre já no subsolo onde muitos batem de cara.
_Afastem-se!_Grita um deles e joga uma granada que detona a parede. E mal a parede se esvai, centenas de rottweilers partem para o ataque.

Ateu Poeta
03/10/2015
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.