terça-feira, 16 de setembro de 2014

VERSO CALADO

VERSO CALADO

O inverno brota
No Inferno e lorota da mesma canção
Fração espectral em teu seio
Vai que o universo seja eterna ilusão

Teu olhar é radiação
Que me derrete a face
Musica o dia
Destoa o violão

O poeta à toa perde o refrão
Na curva mais sinuosa
Tua boca é uma rosa primorosa
No meio do meu coração

Longe de ti cada verso é calado
Mero paradoxo alado e sem razão

Ateu Poeta
16/09/2014
Ateu Poeta, O Historiador de Pacoti. Tema Simples. Tecnologia do Blogger.