Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

quarta-feira, 29 de maio de 2013

A CEREJA

A CEREJA

Então, a solidão é a poética da vida?

O caos é feito de silêncio e escuridão

Paz: abstração e eufemismo da guerra

Efeito da imperfeição transversal do universo



Aporética do verso sem saída

Luz no seio da caverna ou o inverso

Taberna por guarida e ilusão

Chamas em vão num planeta subaquático



Clamor, dor e tédio sorumbático sem razão

Não há rei sem rejeição na Terra

O amor seria maresia da paixão

Ódio em contenção ou puro egoísmo?



O mais certo é que seja a cereja

No aforismo da inequação

ATEU POETA

O HISTORIADOR DE PACOTI

29/05/2013

domingo, 26 de maio de 2013

ENIGMAS DE PLATÃO


ENIGMAS DE PLATÃO

Cérebro: pequeno aquário de ilusões
Superstições, desejos, medos
Sentidos, sentimentos e emoções
Maestro do corpo

Autor da poesia
Quem de fato vê o mundo
Em verdade e fantasia
Por que a ignorância ainda nos guia

Onde está a dúvida da madrugada?
Enluarada dívida da razão
A fascinação nos prende e aliena
Tantos cegos nem tateiam

Se afogam no mar de ego
Enigmas de Platão

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
26/05/2013

quinta-feira, 23 de maio de 2013

HOLOFOTE DE ALGODÃO


HOLOFOTE DE ALGODÃO

Lua: holofote de algodão
Tão branca e bela
Meu coração astronauta quis tocá-la
Na ribalta da ilusão

De antemão, a melhor vista do dia
Contrastando com um azul de céu aberto
Calou o deserto do meu mar com maestria
Encheu de poesia o universo

Nutriu os versos de sentido
Abafou a nostalgia da vida
Desse peito sem guarida
Que à noite flutua

Com pluma de aquarela
Em seu templo sideral

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
23/05/2013
 


domingo, 19 de maio de 2013

O DÍZIMO



 

O DÍZIMO

Dize, mon ami
Dízimo para quê
Se a felicidade está em crer
Que nada está ruim?

Religião é uma droga
Alucinação facínora
Templo de usurpador
Ter senhor e correntes

Quando posso ser dono de mim mesmo?
Não seria loucura
Chamar essa miséria de amor?
Cada pastor dá pasto e assa as ovelhas

Prefiro ser lobo que mata labrador
Caça caça caçador

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
19/05/2013  

MÁSCARAS CULTURAIS



MÁSCARAS CULTURAIS

Meu peito sentiu estar errado
Nocaute de mil metros ao chão
Afeição que explode no princípio da dúvida
Sem cor, se esvaiu um coração

A humanidade sucumbiu com licor
No abismo extremo da intolerância
Cólera, arrogância e hipocrisia
Tudo pela ganância sem limite

Sem as máscaras culturais
Os homens são todos iguais
Animais perdidos em sangue e avareza
Com pretensão de santidade

Caídos na ignorância dos ancestrais
Em guerra com a própria natureza

ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
19/05/2013
 


sexta-feira, 10 de maio de 2013

BOCA MUDA





BOCA MUDA

Quem não tem coragem de perguntar
Já não tem neurônios para aprender!
Chamar os sábios de loucos não te traz lucidez alguma
Procuras desculpas para tua estupidez

Em vez da cura se prendes à servidão
A um Deus inexistente
É deprimente um ser sem mente
Querer que todos sejam crentes

Foges da verdade
Crias culpabilidades mil
Ignorância desejada em atitude infantil
Vê se abres os olhos para o mundo

Mudas de pensamento
Para que não fales de boca muda
ATEU POETA
O HISTORIADOR DE PACOTI
11/05/2013