Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

sexta-feira, 29 de junho de 2012

VENENO




VENENO

Uns são vítimas reais
Outros se fazem em prol de reais
Do Japão a Guaianases tem cada escorpião
E são todos eficazes

O veneno causa comoção geral
No sereno uma história teatral
De cortar o coração mais glacial
Todos se compadecem

Florescem as distorções mais surreais
As intenções são sempre as melhores
De desculpa em desculpa choram muitos ais
Demônios de anjos travestidos

Transformam paz em caos
São fatais

ATEU POETA
15:12
29/06/2012

quinta-feira, 28 de junho de 2012

BONECAS DE PORCALANA


BONECAS DE PORCELANA

 Os falsos inventam motivos para te criticar
 Por que são infelizes
 E por isso querem o teu lugar
 Fingem-se de amigos

 Dizem estar ofendidos pelas menores coisas
 Doem-se de dores insanas
 Bonecas de porcelana
 Querem te derrubar

 Roubam-te as ideias
 São frias e feitas de ingratidão
 Inveja e transtorno movem seus corações
 Mil razões irracionais

 Mudam discursos e ideais
 E ladram feito cães

ATEU POETA
1:46
29/06/2012

sábado, 23 de junho de 2012

O ASSOVIO DO VENTO



O ASSOVIO DO VENTO

O mundo não é tua redoma, guria
Doma tua liberdade
Antes que a frialdade siga a tua direção
No caminho mais duro

Se encontra, muitas vezes, o tesouro puro
Segue para longe, apesar de todo apuro
Lá onde o vento assovia
As vias se entranham

E se estranham as rodovias
Ergue a tua linha, nenhum lar é seguro 
A sangria em teu peito cessa
A mente que não cria seca

Vai na calma e flutua
Fecha a palma da mão e continua

ATEU POETA
16:31
23/04/2012

terça-feira, 19 de junho de 2012

ACORDE!

LOBO GREGO


LOBO GREGO

São tantos lobos em pele de cordeiro
Estúpido tribunal dos urubus
Que se perdem rebanhos inteiros
Os rios vermelhos já foram azuis

O céu já não reluz o verde das montanhas
O forasteiro se banha na luz alheia enquanto a reduz
Rouba ideias e ideais
Quebra telhados e sonhos sem fim

 O pastor pastora tudo de coração ferido
Reforça a cerca entre escombros aferidos
Máscaras se partem para além
Há gregos por toda parte

Agregados entre cegos que dizem amém
Egos faíscam sempre em esgrimas desnecessárias

ATEU POETA
6:47
19/06/2012

sábado, 16 de junho de 2012

A INGRATIDÃO MOLDA O MUNDO



A INGRATIDÃO MOLDA O MUNDO

Certa questões jamais maturarão
Enquanto outras pouco foram infantis
O tempo muda ideais
Mas continua uma ideologia algoz

Idealistas não captarão novos sonhos
Tudo vira facção
O crédito sem troco troca de mãos
Oceanos secam

Desertos deságuam na escuridão
Cegos são seus guias
A verdade é uma guria sem voz
A nostalgia finca espada no coração

A poesia é maresia sem razão
A ingratidão molda o mundo sem ação

ATEU POETA
8:18
16/06/2012

LOUCURA IN LOCO



LOUCURA IN LOCO

Leitores não sabem ler
Nem poetas escrever
Ou professores florescer
Criadores precisam copiar

Capturar novas dores e desvios
Estouram outras vias no ar
Via Láctea em stand by
Maresias subatômicas

Bombas astronômicas
Viagens intergalácticas
Argonautas das estrelas sucumbiam
Navegantes nada viam fora de foco

Loucura in loco
O mundo é pouco para quem sabe voar

ATEU POETA
8:17
16/06/2012

quarta-feira, 13 de junho de 2012

A[A]A (POESIA SIMBOL 2)

A[A]A

AAAAAAAAAA
[AAAAAAAAAA]
[AAAAAAAA]
[AAAAAA]
[AAAA]
[AA]
[]
[[][]]
[ [][][][] ]
[ [][][][][][] ]
[ [][][][][][][][] ]
[ [][][][][][][][][][] ]
]   [][][][][][][][][][]   [

ATEU POETA
00:54
14/06/2012

I[A]I POESIA SIMBOL 1

I[A]I

A
III
I[A]I
I[I]I
x<[I]>x
x[x]x
--]-<A>-[--
- - ] - < A > - [ - -
^A^

ATEU POETA
11:46
13/06/2012
Significação: A= ateísmo. III= Grades. []= caixão. <> e ^^= espadas. X= grade em processo de partição. --= grade partida. ][= caixão aberto partido ao meio.

terça-feira, 12 de junho de 2012

CORRENTES DE OURO



CORRENTES DE OURO

Perseguição política é ato covarde
De quem morre de medo de sair do trono
Por que o poder não é dado aos competentes?
Quem implanta o terror chorará ao cair

Sem talento é fácil sucumbir
O cabresto no voto é uma vergonha cultural
O progresso só existe onde a mentalidade muda
Retrocesso não dá ajuda a quem precisa

Negócios escusos movem o país
Rabos presos em correntes de ouros
Poucos quilates
Muitos que ladram

Todos se mordem
E a máfia nunca muda, por que ninguém se move

ATEU POETA
1:44
13/06/2012


segunda-feira, 11 de junho de 2012

ÁTOMO


ÁTOMO

A vida não é movimento
Por que, de fato, nada para
E é coisa tão rara aquela que não está morta
Não há nenhuma porta

Para nenhum paraíso
Nenhum inferno
Tudo é eterno, mas só em essência
Tuas carências sanadas ou não, morrerás

Por que és mero defeito
Nada jamais será perfeito
Ou não seria real
E o movimento acabaria

Nem teria começado este momento
Não voltarás para o pó, mas para o átomo

ATEU POETA
6:51
11/06/2012

domingo, 10 de junho de 2012

ODE À MELODIA


ODE À MELODIA

O que é a música?
Essa coisa tão mágica que fascina
Faz dançar o velho e a menina
Entristece e anima a cada esquina

Ao poeta emudece
Dá vida ao coração das pedras
Derruba reinos
Levanta o mar

Cria a ilusão de amar
Doce sedução
Maresia
Suaviza o meio-dia

Embeleza a noite com maestria
Senhora da mais nobre fantasia

ATEU POETA
6:23
10/06/2012

sábado, 9 de junho de 2012

ARTE RUPESTRE




ARTE RUPESTRE

Ninguém é invencível
A natureza é implacável com todos
O tempo não é afável a nenhum mestre
Por mais que seja incrível

A natureza aposta no novo
É nele que investe
Faz dele o maior teste
O ciclo rejuvenesce

Tudo vem e vai
Se esvai o mundo de outrora
O lugar é aqui
O momento é agora

Somos seres superficiais
Simples arte rupestre

ATEU POETA
1:39
09/06/2012

sexta-feira, 8 de junho de 2012

VAMPIROS E DEUSES


VAMPIROS E DEUSES

Hoje os deuses sangram
Vampiros assombram e se fartam
Mesmo demônios desandam
A humanidade arde em loucura

Usura é pecado e crime
Mas, nenhuma lei reprime
A cultura já instalada
Na estalagem uma cilada

O cálice cala qualquer um
Ídolos célebres sem valor
Moldam o mundo a seu favor
Poetas incríveis se perdem nas ruas

Sem glória nenhuma
Nem lugar na História

ATEU POETA
3:56
08/06/2012

GRADES DE DIAMANTE


GRADES DE DIAMANTE

A maior prisão que existe é a intelectual
O terror impregnado em sua veia espectral
Surreal, sem cor e funesta
Lá que está todo o pavor dos seus receios

Anseios, segredos e desejos em festa
Preso a tantos cadeados de ouro puro
Somos todos escravos, rebeldes ou não
O chicote está na mão mais cruel

O cartel move moinhos escuros
Águas passadas secarão
Nenhuma guerra sessará o sangue
Tantos sem cama e poucos com tanto

Dama em prantos em grades de diamante
Sem ouvido amante para olvidar
ATEU POETA
3:26
08/06/2012

INSANO SANATÓRIO


INSANO SANATÓRIO

O mundo é um sanatório insano
Onde a verdade é sacrilégio
O poder é privilégio usurpado
E a arte ludibria

Crime, pecado e razão não se entendem
O plagio é chamado de genialidade
A criatividade alcunhada de hipocrisia
Quem rouba a ideia recebe o credito

Quem merece o mérito é conhecido como ladrão
O escorpião é feito de hóspede
O coelho é acusado do ferrão
E nunca se prende o culpado

ATEU POETA
2:38
08/06/2012

quinta-feira, 7 de junho de 2012

LIVRO NATURAL

LIVRO NATURAL

Teus olhos safira
Nessa serra esmeralda
Fazem a lua de amante
O sol diamante arde ou pira

Brilha a calda do colibri
A mata que resta ainda mata a saudade
Que só a liberdade fira
A sua infinda diversidade

Universidade a olho nu
Frio, nuvem e neve
Leve sensação 
Eleve ao livre

Livro natural da vida
Lida que ninguém escreveu

ATEU POETA
Pacoti-Ceará, 07/06/2012

DESENHO

DESENHO

Poesia é desenho
As curvas de teu corpo
Mergulho de tigre
Inteligência do corvo

Canto de sabiá na serra serena
Desabrochar de açucena
Açude em teu olhar
Oásis que ilude

Transeunte de alaúde
A cor do céu que mude
Grande sol sem atitude
a luz da lua que afunde

Seu regaço que faz laço em meu pescoço
Sem alvoroço, por que a estrela é tua

ATEU POETA
6:54
07/06/2012

LIBIDO

LIBIDO

Todos os caminhos me levam a ti
Tens o mundo na mão
Por mais que eu corra
Por mais que eu fuja

Voo em tua direção
Não há par de asas parar além de teus braços
Teus passos tem ímãs
Tua boca é a vermelha imensidão

Teus olhos, minha rima
Tu, salvação dos meus dias perdidos
Todo o tempo percorrido
Sem ti é sem sentido

Nenhum ferido aferido em tua sedução
A vida é libido?

ATEU POETA
6:30
07/06/2012

POESIA ASTRONÔMICA

POESIA ASTRONÔMICA

No fim do dia
Vi que o dia não tem fim
A noite é só ilusão
Consternação das galáxias

O universo não é mais que teoria subatômica
Versos de um soneto inerte
De poesia astronômica
Sem nome, forma ou razão

Imensidão inexorável da ciência
Sem fome, cheiro ou carência
Monstro eterno sem aparência
Obra do antagonismo

Presença e ausência sem sentido
Só acasos e consequências

ATEU POETA
3: 06
06/06/2012

O universo é matéria em arritmia
ATEU POETA
3:07
06/06/2012